Lançada a pedra fundamental do Centro de Saberes Tenetehar

Lançada a pedra fundamental do Centro de Saberes Tenetehar

Preservar o conhecimento dos povos originários e abrir possibilidades de inovação, sustentabilidade e empreendedorismo. Assim nasce o Centro de Saberes Tenetehar, localizado no município de Amarante do Maranhão, no território indígena Araribóia. O lançamento da pedra fundamental pelo Instituto Tukan, nesta quarta-feira (11), marcou o início do trabalho de transformação do centro na primeira universidade dentro de um território indígena.

 A solenidade de lançamento contou com a presença do governador do estado, Carlos Brandão e da ministra dos Povos Indígenas, Sônia Guajajara, prefeitos, deputados, secretários e representantes do Instituto Tukan, como a diretora executiva Fabiana Guajajara.

O Sebrae Maranhão é um dos parceiros do Instituto Tukan e esteve no evento representado pelo diretor Superintendente, Albertino Leal e a equipe da Unidade de Negócios do Sebrae em Grajaú. A parceria com o Instituto Tukan visa promover capacitações voltadas para o empreendedorismo, melhoria nos processos produtivos e inovação das atividades já realizadas pelos indígenas.

As primeiras turmas receberam os certificados durante a cerimônia de lançamento da pedra fundamental. Representando os 30 alunos que participaram das oficinas sobre empreendedorismo e comercialização, DorileneGuajajara conta como essas formações contribuíram para a sua atividade de artesã. “Eu queria agradecer ao Sebrae pelo curso. Eu sou artesã e é muito importante a gente aprender a vender os nossos produtos no mercado. Nós, indígenas, não sabemos bem como fazer isso. Então, foi muito importante e a gente quer que venham outros cursos, para gente e para os jovens aprenderem como se desenvolver no mercado de trabalho”, ressalta Dorilene.

Citando o Sebrae, o governador Carlos Brandão destacou a importância das parcerias para implementação do projeto do Centro de Saberes Tenetehar. “É um momento histórico para o Brasil e para o Maranhão. Vamos ter em nosso estado a primeira universidade em território indígena. O estado está apoiando, mas são essas parcerias como do Sebrae ,a Uema, Iema, que vão fazer uma cooperação técnica, e outras que vão fazer isso se tornar realidade”, afirma.

 A construção desse centro dentro do território é a realização de um sonho para a comunidade indígena. Para além de um espaço para educação formal, a instituição visa preservar os saberes originários, como explica Fabiana Guajajara, diretora executiva do Instituto Tukan

 “A universidade vem de encontro a uma necessidade do nosso povo de terminar o ensino médio e opções de cursos técnicos e de nível superior. Até então a gente acessa nos municípios fora do nosso território. A gente precisa desse acesso aqui dentro para que os jovens não precisem sair das suas comunidades para ter essa formação”, conta Fabiana.

  Atualmente o centro conta com uma sala de aula e refeitório. O projeto apresentado durante o lançamento conta com uma área de mais de 2 mil hectares e arquitetura que faz referência às moradias tradicionais, além do uso de materiais e técnicas de construção sustentáveis.

 O diretor Superintendente Albertino Leal explica que o Sebrae tem muito a contribuir com esse projeto e que esse é só o início dessa parceria. A ideia é desenvolver trilhas de capacitações que ofereçam ferramentas adequadas ao território e para isso será feita uma escuta para entender as reais necessidades da comunidade.

 “Nós acreditamos muito nas ideias transformadoras e na atitude. Então, nós estamos muito felizes de estarmos contribuindo com o centro. Nós vamos trazer qualificações em diversas áreas. Primeiro em empreendedorismo que é uma necessidade. Aqui nós temos possibilidades amplas, preservando a cultura ancestral desses povos, mas trazendo também situações inovadoras para pensar ideias para gastronomia e turismo rural, por exemplo, afirmou o superintendente.

 Ele explicou que a inovação é muito importante para a qualificação dos indígenas. “Podemos melhorar os plantios já existentes. Trabalhar o artesanato que já é tradicional, mas trabalhar também a inovação como forma de acessar outros espaços. E a gente está aprendendo também. Nós estamos inclusive fazendo uma trilha vendo as vocações dos indígenas, vendo o que podemos construir juntos, incluindo eles nesse processo”, explicou. 

Avatar photo

Andrezza Cerveira

Editora responsável. Profissional da comunicação com quase 20 anos de atuação no mercado maranhense. Atualmente apresenta o programa Diário Mais, na Rádio Mais FM 99.9, de segunda a sexta-feira, de 06h às 08h. Também possui no currículo experiências na extinta Rádio NOVA FM 93.1, TV Difusora, Portal Difusora On, Coordenadoria Municipal da Mulher de São Luís, Secretaria de Comunicação da Prefeitura de São Luís, além de campanhas políticas e assessoria de imprensa para organizações privadas. Ao longo da carreira, exerceu praticamente todas as funções do jornalismo: reportagem, produção, produção executiva, chefia de edição, chefia de reportagem, apresentação e coordenação de jornalismo.
0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
0
Would love your thoughts, please comment.x